sexta-feira, novembro 23, 2007

sempre detalhes

dias. pessoas. janelas. será que foram alguns deles? parece que sim. alguns que não precisam olhar de perto. alguns que somem nos segundos restantes. alguns. o mundo se enche. meio que obriga. e força o rosto, o corpo a inclinar-se. que sejam detalhes. minimos. simples. mas me dá vontade de olhar de perto. e ver cada ponto escuro, claro, branco... qualquer um. percebendo a imagem por suas partes. percebendo as pessoas. pelos atos. pelo que falam. mas como se percebe? cheios de impressões. de tantas pessoas. de tantos resquicios. [o mundo não é justo porque se quer que seja.]

Um comentário:

Julyana disse...

Priscila, adorei a sensibilidade da tua descrição. Também me apego muito aos detalhes, tento visualizá-los de todas as perspectivas possíveis. É uma pena que somos enganados por estes e nem sempre conseguimos desvendá-los. Beijos!