quinta-feira, outubro 22, 2009

ligação

um pouco de tempo. e as coisas fingem passar. mas voltam de um modo absurdamente exagerado. enquanto fala ao telefone, enquanto lembra. vai pensando no quanto essa memórias foi boa de ser construída. é estranho como se gosta das pessoas. como se começa. como se mantêm. conheci algumas pela vida, talvez numa quantidade maior no último ano, de janeiro pra cá, de uma mudança pra cá, de um rompimento pra cá. rompimento não tão explicito, sem o ódio, a repugnância necessárias pra esquecer. foi ficando. fica. está. claro que de um modo diferente, mais claro, mais longe, mais aceitável. mas está. é bom pensar nas pessoas. imaginar as situações. sonhar um pouco. mais acordada claro. desejando. hoje, a voz foi mais calma. o falar pareceu mais sincero, mais calmo, sem cobrança, sem nenhum desejo aburso demais. só queria ouvir. só queria o tempo. só queria ficar mais instantes nesse fio. nessa conversa. nesse jeito de gostar. diferente, sim. mas que continua. não é mais tão extremo, tão exagerado. a vida, de vez em quando, só de vez em quando aprende a ser calma.

2 comentários:

borboleta. disse...

a gente vai aprendendo a ter calma... a ter paz. a ser antes de qualquer coisa feliz com um pouco. feliz com mãos juntas e muitas vezes com corpos em sentido apostos.

Rafael Ayala disse...

a calma chega quando a gente menos percebe, chega e se instala e depois que vamos nos dar conta...

e conhecer gente nova é sempre bom, gosto muito também, mas não deixo os velhos amigos de lado, tento juntar todos, sempre...

mesmo estando longe, pessoas se fazem presente por sentimenos fotes e ótimos, aproveitemos os bons momentos, sempre que aparecerem...

beijos e abraços!
=]