quinta-feira, outubro 15, 2009

extremos

se encontrar o caminho, fala pra mim. olha pra mim. e finge, até me fazer acreditar. as vezes as pessoas vivem das esperanças em que acreditam. e são felizes, nem todos os sonhos precisam ser realizados para fazer a felicidade ser por eles. e ela é. você conta pra mim, minuciosamente, como foi o dia. como foi a noite. encontra comigo, e em cada fragmento de tempo despeja um pouco do que viveu e sentiu quando esteve longe. as vezes sufoca, nos impede de viver juntos qualquer coisa. e eu, ouço. com atenção. com desespero. com pressa, com vontade de ir embora. de ir contar um pouco de mim pra quem escute um pouco, não fale tanto. um dia eu encontro num pedaço de mim. essa vida que viveram e contaram. sem reproduzir. mas quero contar também. o dia não foi calmo, nem tão harmonioso quanto o horoscopo dizia. talvez eu sempre espere mais. mais de mim. mais dos outros. mais do tempo. mais.

não é fácil aprender a viver de um modo equilibrado. vai sempre andando pelos extremos. ou fala baixo demais, ou grita. ou fala demais, ou não fala. ou conta, ou deixa contar.

4 comentários:

borboleta. disse...

me basta dizer que todos os seus pedaços também são meus, que teus palavras são minhas. teus olhos, minhas palavras, tuas palavras, meus olhos.

Rafael Ayala disse...

Não é preciso que todos os sonhos se realizem mesmo, mas vamos tentando o máximo possível deles...

E o equilíbrio existe mesmo? Quem realmente o quer? Quem o tem? "Seja frio ou seja quente, seja morno e eu te vomito", disseram-me que isso é uma passagem da bíblia, vai saber né?

Tem dias que é bom gritar, rir, chorar, pular, deitar... Tem dia pra tudo, o equilíbrio é ter tudo na medida certa? Quem sabe a medida certa da loucura?

Eu gosto de contar meus dias e de ouvir os de outros, sinto-me tão vivo escutando e contando, e, aprendo mais ainda com alguém com que possa compartilhar...

E, vamos comemorar muitas vezes ainda, aniversário num dia só é muito pouco, negócio é comemorar sempre que possível.

E eu também estou aprendendo a te conhecer de um outro jeito, por outro caminho, mesmo distante, mas pelas fortes e ao mesmo tempo sensíveis letras... Cê faz parte das pessoas que eu gosto, com certeza, mesmo.
Até...
Bjoos!
=]

Rafael Ayala disse...

e outra coisa que eu havia esquecido de dizer

gosto sempre de estar por aqui te visitando, posso colocar um link pro teu blog lá no meu?
=]

Eduardo Martins disse...

Pri, gostei demais de te ler de novo... volto ao frequentar teu espaço. Beijos.... Dudu.