sexta-feira, dezembro 29, 2006

toda nova

começo de um novo dia. o céu não está tão lindo quanto ontem. merecia umas nuvens, um tempo fechado. uma chuva forte. na beira da entrada, degraus. encosta o rosto na parede manchada, suja. roupas gastas. suor. o corpo sendo reconstruído. toda nova. nesse fim de ano. ao ponto de desejar qualquer mudança. ah como seria mudar dessa cidade?!! ir pra uma daquelas casas perdidas na estrada, na enconsta de "abismos", pendendo entre uma chuva e outra. cheia de alucinações. compra a passagem pro paraíso. será que algum lugar merece tanto? [...]

Um comentário:

Priscila disse...

ah...com fome agora! mas tava escrevendo já... vou parando pelo meio! e com frases desconexas. espero que entendam!