quarta-feira, agosto 08, 2007

noite

é tarde. silêncio. e quando se está em um lado da cidade onde mal se ouvem os carros se ouve cada simples som, de folhas sendo arrastadas, vento forte. de uma calma absurda. alguns medos surpreendem vez ou outra. como se as mais simples histórias só pudessem existir durante a noite. vai alimentando idéias, medos, sentimentos. enche tudo de uma obssessão pelo mais simples. silêncio. por alguns instantes enche o quarto de uma angústia e calma ao mesmo tempo (se isso for possível). pra surprender de uma forma mais forte. pequenos sons de vidas que não param, que não fazem o intervalo habitual de se recolher à noite.

como se estivesse no centro de um círculo. sentindo e dando vida à cada coisa ao meu redor. como o vento forte que agita as folhas das árvores. uma incoerência. estar entre o mundo comum e a simplicidade.

3 comentários:

Mrs. Noone Special disse...

folhas, silêncio.. quase sinto o ar puro entrando nos pulmões. seria bom ter um refugio.

saulo disse...

quero aquele brilho no olhar e todas aquelas coisas e histórias consideradas clichês...tb quero ter vc por perto menina!!!
te adoru!!!

Felipe disse...

infelizmente, graças as tecnologias, perdemos algumas coisas que a natureza por si só nos traz. perdemos o silencio, perdemos o barulho das arvores, o som do vento e o que pra mim é o mais importante... perdemos o brilho das estrelas.